quarta-feira, 11 de abril de 2018

Servidores rejeitam 0% oferecido pelo prefeito e intensificam pressão por reajuste salarial





Em assembleia organizada pelo Sinspmar, funcionalismo delibera por ações voltadas à reivindicação de direitos garantidos por lei


Na última terça-feira, 10 de abril, centenas de servidores se reuniram no Clube Comercial, no Centro, em assembleia organizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar. Durante o evento, eles votaram contra a proposta de 0% de reajuste oferecido pelo prefeito Fernando Jordão e deliberaram por ações e estratégias que visem à valorização da categoria.

A assembleia foi iniciada às 18h. Além de contar com a participação de todos os diretores do Sinspmar, o departamento jurídico da entidade, nas figuras dos advogados José Antônio e Thiago Teodoro, também se fez presente.

O presidente do Sinspmar, Siderley Marques, abriu a assembleia falando da reunião que ocorreu no dia anterior, quando a diretoria do sindicato e membros da comissão de servidores ouviram do prefeito e de secretários municipais que o governo não poderia oferecer nenhum tipo de reajuste ou reposição inflacionária ao funcionalismo. “Eles estão achando que nós estamos contentes apenas com o salário em dia. Mas nós não estamos.”

Após a fala de Siderley, a vice-presidente do sindicato, Andréia Campos, falou sobre os atrasos nos pagamentos e, mais uma vez, esclareceu que o Sinspmar foi o responsável por colocar o salário dos servidores em dia, através da ação de arresto organizada pelo setor jurídico da entidade. Ela também lembrou que os tempos são outros. “Na primeira reunião com o prefeito, no primeiro ano de mandato, o discurso dele foi o de que era o momento de colocar as contas em dia. Agora, o discurso não pode ser mais o mesmo”, frisou.

Mobilização e protestos a caminho


Dando prosseguimento à assembleia, a vice-presidente do Sinspmar leu o ofício que foi enviado pela prefeitura aos servidores explicando, através de números e dados, os motivos que teriam levado o governo a oferecer, mais uma vez, 0% de reajuste ao funcionalismo – abaixo, texto na íntegra. Ela resumiu a mensagem. “O discurso continua o mesmo do ano passado, de ter que colocar a casa em dia”.

Em seguida, o Sinspmar ofereceu uma série de propostas com o intuito de pressionar a prefeitura quanto ao reajuste salarial, assim como abriu espaço para a fala dos servidores que estavam participando da assembleia, que fizeram suas reivindicações e propostas.

Os servidores votaram pela recusa da proposta da prefeitura, que oferecia 0% de reajuste ao funcionalismo, assim como negava todas as outras reivindicações da categoria – aumento do Verocard e adequação do vencimento da referência 102. Eles votaram favoravelmente, de forma unânime, pelas propostas colocadas pelo Sinspmar, e também inseriram outras que se somaram a elas.

Os servidores vão dar continuidade à negociação, solicitando nova reunião com o prefeito e a apresentação de dados financeiros da prefeitura; a comissão de negociação e a diretoria do Sinspmar vão ao plenário da câmara – terças e quintas – para pressionar pelo apoio dos vereadores; paralisação toda terça-feira, no turno da manhã – até às 13h –, para vigília na praça da prefeitura e ocupação do plenário da câmara; audiência pública com o prefeito e secretários, para apresentação de dados do governo e dos servidores – através do Sinspmar e da comissão de negociação; atividades junto à população para explicar as perdas do funcionalismo, buscando o apoio do povo; realização de nova assembleia no dia 25 de abril; concentração na praça da prefeitura todas as quartas, a partir das 17h, com passeata pelas ruas em seguida; paralisação no dia em que for marcada a audiência pública.

Sinspmar em assembleia com os servidores
















Nenhum comentário:

Postar um comentário