quinta-feira, 23 de março de 2017

Sinspmar em reunião no HGJ

Diretoria do sindicato e advogado da entidade ouviram as reivindicações dos servidores da saúde


Na manhã desta quinta-feira, 23 de março, parte da diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar e um dos advogados da entidade, Dr. José Antônio Gomes, reuniram-se com dezenas de servidores da saúde, no Hospital Geral da Japuípa, para debater uma série de reivindicações referentes aos profissionais da área.

O presidente do Sinspmar, Siderley Marques, abriu a reunião fazendo um resumo das propostas que foram aprovadas na última assembleia, quando o funcionalismo, discutindo a negociação salarial, aprovou o percentual de 7% relacionado às perdas salariais dos últimos anos – 4, 96% de 2016 e 2, 06% referente aos outros anos. Ele também frisou a importância de o servidor efetuar a filiação perante ao Sinspmar, que é a entidade oficial na defesa da categoria.

Depois de frisar que a prefeitura, ao manter o pagamento dos servidores em dia, não está fazendo mais do que a obrigação dela, ele passou a palavra ao suplente do Sinspmar, Dr. Christiano Alvernaz, que explicou aos servidores presentes que a prefeitura tem, sim, mais de 400 milhões em dívidas, mas que muito desse montante é composto de pendências a longo ou médio prazo, pagas em muitas prestações.

A pauta dos profissionais de saúde incluía condições de trabalho, qualidade da assistência oferecida à população, extinção da Fusar, pagamento das horas extras atrasadas, déficit de RH, materiais e medicações, falta de segurança e dúvidas sobre a cooperativa e a fundação.

O advogado do Sinspmar, José Antônio, falou sobre a pauta. Ele declarou que, com a extinção da Fusar, existe a possibilidade de que os servidores da fundação não sejam realocados, mas esclareceu que o sindicato vai fazer o que for necessário judicialmente – e politicamente – para que isso não venha a acontecer.

José também disse que o Sinspmar vai entrar na justiça pelas horas extras trabalhadas e não pagas, do ano anterior, mas que o processo não é rápido, podendo demorar de dois anos a dois anos e meio – ele já está estudando o caso para oficializar a entrada na justiça. Ele também pediu que servidores sindicalizados que se encontram nessa situação já forneçam as provas, como contracheques etc., ao sindicato, para agilizar a operação.

Os diretores e o advogado deixaram claro que, qualquer servidor que passar por algum tipo de assédio moral não pode se calar, e que o Sinspmar está pronto para atuar em defesa do funcionalismo. Ao final do encontro, ficou decidido que a diretoria vai estudar todos os itens da pauta dos profissionais de saúde para, o mais rápido possível, marcar uma reunião com a diretoria do HGJ, na intenção de tentar resolver os graves problemas que atrapalham não apenas o trabalho dos servidores, mas a população, como um todo.



 
Diretoria do Sinspmar em reunião com servidores da Saúde, no HGJ

Reunião da SulAmérica


quarta-feira, 22 de março de 2017

Sinspmar cobra posicionamento da prefeitura a respeito da negociação salarial

Diretores do sindicato vão até a sede do governo para buscar respostas sobre o ofício com as reivindicações do funcionalismo


Parte da diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar foi até a sede da Prefeitura de Angra e à Secretaria de Administração para cobrar uma resposta quanto aos ofícios enviados pelo sindicato ao governo, na intenção de obter um posicionamento a respeito das reivindicações do funcionalismo referentes ao período da negociação salarial.

Na sede da Secretaria de Administração, o secretário Carlos Macedo disse ao presidente do Sinspmar, Siderley Marques, que vai conversar com o secretário de Governo, Marcus Veníssius, sobre a pauta.

Na prefeitura, a diretoria do Sinspmar não conseguiu falar com o prefeito Fernando Jordão, que não se encontrava no local. De qualquer forma, conversaram com a secretária pessoal do prefeito e com outros membros da gestão, deixando claro que o funcionalismo precisa de respostas concretas – e rápidas – quanto às reivindicações dos servidores. Eles também formalizaram o pedido de uma nova reunião entre o governo e o sindicato.





O presidente do Sinspmar, Siderley Marques, cobra posicionamento da prefeitura, através do secretário de Administração Carlos Macedo

terça-feira, 21 de março de 2017

Sinspmar e Fesep na luta contra a reforma previdenciária

Federação pressiona e deputados apoiam a reavaliação da proposta em plenária


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar é absolutamente contrário à reforma previdenciária a qual o atual Governo Federal quer fazer com que seja aprovada no congresso. Por isso, através da filiação à Federação dos Servidores Públicos Municipais no Estado do Rio de Janeiro – Fesep, vem apoiando a causa, que parece já estar surtindo efeito.

Por meio da pressão que a federação vem fazendo, o apoio de deputados federais na intenção de reavaliação da proposta em plenária – protegendo e também resguardando os trabalhadores, inclusive os funcionários públicos – já ultrapassou o limite mínimo para que a reavaliação seja efetuada.

Direta ou indiretamente, o Sinspmar vai continuar lutando pelos direitos dos servidores públicos municipais de Angra dos Reis.



sexta-feira, 17 de março de 2017

Sinspmar encaminha ofícios à câmara e à prefeitura

Documentos informam as deliberações efetuadas pela assembleia        

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar já enviou à Prefeitura de Angra e à Câmara Municipal os ofícios relacionados às deliberações da assembleia do dia 15 de março, quarta-feira, quando foi discutido pela categoria o dissídio de 2017. O Sinspmar agora aguarda o pronunciamento das entidades a respeito das informações cedidas.









quinta-feira, 16 de março de 2017

Servidores querem 7% de reajuste e aumento no cartão alimentação

Proposta também reivindica o mesmo reajuste do Verocard para os inativos; Sinspmar vai entrar na justiça por horas extras atrasadas, progressão e promoção, insalubridade e 1/3 de carga horária dos professores         

Em assembleia realizada na tarde de ontem, 15 de março, pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Angra dos Reis – Sinspmar, o funcionalismo deliberou pela proposta de reajuste salarial de 7%, aumento do Verocard e abono para os inativos seguindo o mesmo percentual do cartão alimentação.

A proposta foi votada no salão de festas do Posto Texaco. Os servidores participaram da assembleia, incluindo a diretoria do Sinspmar, os advogados da entidade – Thiago Teodoro e José Antônio Gomes – e o presidente da Federação dos Servidores Públicos Municipais no Estado do Rio de Janeiro – Fesep, Marco Antônio Correa da Silva, que falou sobre as dificuldades econômicas dos demais municípios. Dos 7%, 4, 94% são referentes à inflação de 2016, enquanto 2, 06% representam um começo da reparação das perdas salariais a partir de 2013.

“O Sinspmar não está parado. Buscamos, junto ao governo, subsídios para que o servidor tivesse mais oportunidades de valorização”, declarou o presidente do sindicato, Siderley Marques, antes de continuar. “Infelizmente, o prefeito não participou de nenhuma reunião com a diretoria do Sinspmar. Só conversamos com os secretários e, apesar de saber que eles repassam as informações, queremos um diálogo com ele.”


Prefeitura sugere mudança de data base; Sinspmar declara que vai entrar na justiça por direitos dos servidores          


Antes de a votação das propostas acontecer, o Sinspmar explicou, através dos diretores e do corpo jurídico do sindicato, que questões pendentes dos servidores, como o pagamento das progressões e promoções do PCCR já homologado e do processo de insalubridade, as horas extras atrasadas e o 1/3 de carga horária dos professores serão judicializadas.

A diretoria do Sinspmar também leu o ofício que foi enviado pela prefeitura, horas antes da reunião. Nele, além de citar de forma superficial as dificuldades pelas quais passam o governo municipal, é sugerido de maneira confusa que a discussão relacionada à negociação salarial seja adiada até outubro. Os servidores não entenderam se o adiamento está exclusivamente ligado ao dissídio deste ano ou se é uma mudança permanente, e vetaram a proposta por meio de votação.

Dando seguimento ao processo de negociação salarial, o Sinspmar vai enviar um ofício sobre as decisões deliberadas em assembleia ao governo. Depois, entrará em contato com a atual gestão para agendar uma reunião com os secretários e, acima de tudo, o prefeito, na intenção de conseguir dialogar de forma tranquila e justa a respeito dos direitos dos servidores.




 
Sinspmar em assembleia com os servidores